Informativo

O que você precisa saber sobre a vacinação contra a coqueluche

Para 2014, a Organização Mundial de Saúde (OMS) espera 50 milhões de casos de coqueluche em todo o mundo, com 300 mil mortes. A coqueluche (tosse comprida) é altamente contagiosa. A doença é transmitida através do ar como uma infecção transportada pelo ar; por exemplo, ao falar, espirrar ou tossir, o patógeno é inalado.

A coqueluche não deve ser considerada irrelevante. É possível que haja complicações.

A proteção para toda a vida não é proporcionada por já ter tido a doença ou por uma única vacinação. Então, os reforços são importantes na infância e na adolescência (9 a 17 anos), bem como na idade adulta.

Recentemente, surtos particularmente graves de coqueluche têm ocorrido de tal modo que fizeram com que as comissões de vacinação em todo o mundo convocassem doses de reforço.

Considere receber o reforço da vacinação contra a coqueluche!

O reforço da vacinação contra a coqueluche deve ser feito entre cinco e seis anos de idade e dos nove aos 17 anos de idade.

As mulheres em idade fértil devem receber a vacinação contra coqueluche a cada dez anos, para proteger o feto e o recém-nascido.

Devem ser vacinadas as pessoas com contato próximo com um recém-nascido, como os avós, babás e cuidadores, bem como funcionários de serviços de saúde (por exemplo, parteiras e médicos) e das unidades comunitárias, como jardins da infância ou asilos.

 


Voltar Você está em: O que você precisa saber sobre a vacinação contra a coqueluche